Governo do Estado vai aprimorar políticas públicas da educação inclusiva

    0
    104
    Mauro Mendes é o primeiro governador de Mato Grosso a participar do simpósio, que está em sua quarta edição. - Foto por: Tch´rlo Figueiredo - Secom/MT
    Projeto de Lei será elaborado em conjunto com o Poder Legislativo para que atenda todas as necessidades e a educação se torne de fato inclusiva aos jovens e crianças.

    O Governo do Estado deverá apresentar um Projeto de Lei para aprimorar as políticas públicas voltadas à Educação inclusiva de jovens e crianças com alguma deficiência. O projeto será elaborado em conjunto com o Poder Legislativo para que atenda todas as necessidades e a educação se torne de fato inclusiva aos jovens e crianças.

    O apontamento foi feito pelo governador Mauro Mendes durante participação no IV Simpósio sobre Dislexia – Um desafio para a Educação, nesta sexta-feira (24.05), no Teatro Zulmira Canavarros, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

    “Cerca de 10% das crianças podem ter dislexia. Sempre tive um carinho especial pela área da educação inclusiva e o Estado precisa melhorar os serviços que já são oferecidos, aprimorando as políticas públicas para o atendimento desse segmento. Já existe um esboço de um Projeto de Lei, que quero melhorar junto aos deputados estaduais para que possamos criar um normativo legal aderente à realidade e às necessidades”, pontuou.

    Mendes é o primeiro governador de Mato Grosso a participar do simpósio, que está em sua quarta edição. Um dos coordenadores, o deputado Wilson Santos, afirmou que a presença do governador engrandeceu o evento e acredita que poderá melhorar o acolhimento e o atendimento, dando qualidade às crianças que possuem algum tipo de deficiência.

    “Nossa luta é para dotar o Estado, especialmente as Secretarias de Educação e de Saúde, das condições necessárias para fazer o acolhimento correto, com metodologias modernas e material didático adequado, para que as crianças não sejam vítimas de bullying. É um desafio, e a presença do governador mostra que o Estado está atento para garantir um bom atendimento às crianças”, disse Santos.

    A presidente da Associação Brasileira de Dislexia, Maria Angela Nico, explicou que a dislexia se trata de uma dificuldade de aprendizagem que se torna evidente no período de alfabetização das crianças. No entanto, segundo ela, os professores ainda não estão capacitados para reconhecer os sinais da disfunção e encaminhar a criança para avaliação.

    “Nesse sentido, eventos como esse são muito importantes, para trazer a capacitação dos professores, profissionais da educação e até mesmo dos pais, que muitas vezes desconhecem a dificuldade. Quanto mais gente souber da existência da dislexia, menos crianças, adolescentes e até adultos irão sofrer”, comentou Maria Angela.

    Mauro Mendes ainda destacou que apesar das dificuldades financeiras que o Estado enfrenta, são necessárias ações criativas para superar as deficiências que porventura ainda existam para o atendimento das crianças e adolescentes com dislexia e outras dificuldades de aprendizado.

    “A educação inclusiva deve ser tratada com a devida importância no dia-a-dia do papel do Estado, tratando com respeito as crianças e adolescentes que estejam nesse grupo. O Estado tem o dever de aprimorar as tecnologias e metodologias educacionais para que possa melhorar a educação inclusiva”, finalizou o governador.

    Carol Sanford | Secom-MT 

    SEM COMENTÁRIOS

    DEIXE UMA RESPOSTA